Hoje é Dia dos Solteiros!


Hoje é celebrado o Dia do Solteiro e, embora muitas pessoas acreditem que solteiro não tem data especial – todos os dias são dia do solteiro -, vale o registro desta data simbólica.

De acordo com o IBGE, há 74 milhões de solteiros no país. Isso sem contar os separados, divorciados e viúvos, que somam mais 11 milhões de corações solitários, mas nem sempre infelizes.
Popularmente costuma-se dizer que existem dois tipos de solteiros: o solteiro por convicção e o solteiro por obrigação. Geralmente o segundotipo é rotulado de “encalhado”.
Mas a vida solteira fora da casa dos pais não significa que a pessoa seja egoísta, ambiciosa, independente ou que tenha dificuldade para se relacionar com os outros.

Depende muito do momento que se está vivendo. Às vezes é preciso um amadurecimento para começar a viver ao lado de outra pessoa. É preciso pensar muito seriamente para viver a dois.
Nas grandes cidades brasileiras, cerca de 10% dos lares são formados por apenas uma pessoa. Nos bairros centrais, os solitários chegam a ocupar 25% do total de moradias. Boa parte deles vive muito bem, obrigado.

Faça o ritual do desapego

1. Apague tudo que te faça lembrar dele – Queime fotos e cartinhas, apague as mensagens do celular e e-mails. Agora, se você é muito apegada às recordações, coloque tudo numa caixinha de recordações para reabrir depois de alguns anos.
 
2. Pense nos pontos negativos do namoro– Temos o costume de nos apegar as boas lembranças e esquecer os reais motivos do término, por isso é sempre bom analisar os prós e contra da sua relação com o ex para não cair na tentação e se decepcionar mais uma vez. 

3. Não faça a obsessiva – Nada de ficar ‘stalkeando’ o ex, ou, pior, fazer ligações misteriosas de números restritos só para escutar a voz dele. Quem nunca? Mas, cá entre nós, é o fim! 

4. Livre-se da culpa – Pode ter certeza que o relacionamento não acabou apenas por sua causa, então nada de ficar enaltecendo o ex e se colocando para baixo por carregar uma frustração imensa (que nem deveria existir) nas costas. 

5. Faça tudo o que você não podia quando estava com ele – Mude a sua rotina e pense em tudo o que a ausência dele pode trazer para a sua vida: um círculo novo de amigos, a possibilidade de fazer aquela viagem que tanto queria (e ele não), o tempo disponível para por em prática seus projetos pessoais e, claro, paquerar muito por aí!
Fonte: portalsaofrancisco/vilamulher.terra.

loading...
loading...

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.